terça-feira, 10 de junho de 2008

A Primeira Concha


Primeiro veio a vontade súbita de comunicar, interagir e reagir. Em seguida, a idéia de fazer uso da internet para fins mais interessantes que orkut, fotolog e youtube (não que este último não me tenha feito, muitas vezes, ampliar horizontes). O fato é que após ler a entrevista interessantíssima com o psicanalista cidadão-do-mundo Contarde Calligaris exposta na revista Marie Claire, achei que chegara a hora de ganhar o globo. Já que a grana é curta, a coragem é pouca e a menoridade não permite, a internet mostrou-se como um meio de fazer chegar a um alcance maior que minha sala de aula e os ouvidos de minha família e amigos um pouco de minha sopa de idéias e sombras de meus pensamentos. Neste espaço correrão soltas frases de alguém que, como todos e cada um, busca a liberdade inata - muitas vezes inexistente- de expressar-se. Desvencilhar pensamentos e palavras dos grilhões do comodismo e da imobilidade talvez sejam o maior desafio do homem. Ser é ver, falar e tranformar, não em seus sentidos literais, mas na abrangência mais ampla de seus conceitos. Que Pipas, de Portinari, deixe-nos a imagem de que senão livres, ao menos belos.